As opiniões deste blog não representam, necessariamente, o conjunto dos pastores batistas: homens ou mulheres.

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

mistura de ano novo, parte 2

No texto de Mateus 14, 13 e ss é Jesus quem se retira para um lugar afastado. O ambiente desta ação não tem a ver com a jornada de trabalho evangélico dos discípulos, mas com aquilo que Jesus ouviu. Isto é, ele havia sido informado da morte de João Batista. Sua retirada de “cena” por um pouco tempo parece ter sido motivada pela tragédia de João, pelo luto. Eu acredito que os evangelhos apresentam um desenho de Jesus como um homem profundamente sensível às questões sociais e políticas, além das religiosas. Jesus certamente, segundo Mateus, precisou  de um tempo. 
De quantas tragédias nós fomos testemunhas até agora? Opressão financeira, pobreza, alagamentos em cidades mal cuidadas e planejadas, sequestros, pedofilia, assassinatos de mulheres por namorados, maridos, ex-maridos, corrupção em todas as instituições, fundamentalismos homicidas, tanto horror colocando em xeque nossa humanidade e sanidade. Às vezes, é preciso pegar um barco e sair um pouco.
Mas nós voltamos ou, quem sabe, as pessoas voltam para nós, nos alcançam. Talvez estejamos diante de um ciclo de vida. De ministério. Talvez. Fato é que em todos os textos  (Marcos, Mateus, Lucas 9,10ss e João 6, 1-14) o que se segue ao processo de recomposição do corpo e do espírito é uma obra de compaixão e misericórdia. Um serviço, portanto. Um servir de novo com a alma renovada, disposta a mais algumas léguas até um outro tempo de repouso.
Seguir os passos de Jesus é ato de coragem. Mesmo os fracos, podem encontrá-la pelo caminho.

Uma semana benta!

Pra. Silvia Nogueira

Nenhum comentário:

Postar um comentário