As opiniões deste blog não representam, necessariamente, o conjunto dos pastores batistas: homens ou mulheres.

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

espera um pouco, Jesus

disponível em:http://tempodeviver2.blogspot.com.br/2012/04/jogo-minha-rede-no-mar-da-vida-e-as.html

Ao passar pela beira do mar da Galiléia, Jesus viu Simão e seu irmão André: estavam jogando a rede no mar, pois eram pescadores. Jesus disse para eles:"Sigam-me, e eu farei vocês se tornarem pescadores de homens". Eles imediatamente deixaram as redes e seguiram a Jesus.
             Evangelho de Marcos 1,16-18

       Mesmo o mar da Galiléia pode ser assustador. "Água é bicho sem cabelo" , diziam os antigos com respeito. Tanta coisa pode acontecer nesse trabalho de enfrentamento do ser humano raquítico diante da força da natureza. No entanto, acorda-se bem cedinho, verificam-se as redes e depositam fé nos braços e nos cardumes. O mundo se resume ao trabalho e a luta diária pela sobrevivência. Nessa altura da vida, não há mais tantos segredos a desvendar, já acumulou-se muita técnica e maestria no labor. O terreno é velho conhecido.
     De repente, aparece um estranho que os vê de longe, trabalhando no ordinário da vida. Dirige-se a eles e os convida para deixar aquilo que estavam fazendo para fazer uma outra coisa, diferente do que conheciam. Utiliza uma metáfora para aproximar. Não há grandes explicações, nem palestra motivacional, nem aparência de sucesso. O que existe é um homem empoeirado, rosto plácido, familiar até, ordinário como eles mesmos. A oferta parece com aquilo que eles já realizam: pescadores! Mas existe um diferencial. O que vem pela frente é difícil de se trabalhar, traiçoeiro como o mar, complexo e desconhecido. Pescariam pessoas, não peixes.
    O extraordinário acontece. Nenhuma dúvida no coração. Nenhum temor sobre o futuro. Nenhuma dor pelo passado. Nenhum sentimento de perda. Eles imediatamente deixaram o que estavam fazendo e o seguiram.
   Por que ainda peço para que Ele espere um pouco? Deixa eu arrumar a casa, deixa eu me despedir dos meus, deixa eu construir alguma coisa, deixa eu ganhar um fôlego, deixa eu me recuperar da última empreitada, deixa eu...
   Espera um pouco, Jesus. Está difícil atender ao imediatamente. É muito imediato, urgente. Já não é o bastante seguí-lo? Já não é suficiente estar tão misturado às suas palavras e identidade? Não posso viver a fé no meu próprio ritmo?
   Parece que não. Algumas coisas não esperam. A vida em sua totalidade é urgente. A rede já foi lançada. É preciso pensar rápido, fortalecendo os braços e a fé nas pessoas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário