As opiniões deste blog não representam, necessariamente, o conjunto dos pastores batistas: homens ou mulheres.

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

não é rascunho, não. é a vida mesmo.

Museu de Nápoles. Afresco Romano.
Iniciei 2014 com a ideia de uma vida à lápis. Uma vida que poderia ser reinventada, reescrita, redimensionada, retocada, etc. A metáfora nasceu da fala do protagonista do excelente filme  "Narradores de Javé" que em determinada cena dizia ao povo da cidade que seus pensamentos eram à lápis. Penso que o narrador de si mesmo precisa ter por perto a humildade da borracha, o destemor do lápis e a resiliência do papel. Talvez nesse conjunto simples de disposições internas, a vida se apresente boa o suficiente para colocar um sorriso em nossos lábios, mais vezes do que seria permitido. 
A mesma ideia norteia esse novo início. Se colhi bons frutos, devo estar em um bom caminho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário