As opiniões deste blog não representam, necessariamente, o conjunto dos pastores batistas: homens ou mulheres.

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Ninguém despreze os humildes começos

A assembleia anual da CBB está acontecendo nestes dias em Belém. Mais uma vez podemos vivenciar este encontro como uma espécie de termômetro posterior da efervescência anterior às assembléias nas igrejas e entre as lideranças pastorais Batistas. Dito de outra forma, a assembleia anual ratifica posições e tendências produzidas por igrejas e lideranças a cada ano. Em relação à presença das mulheres no ministério pastoral Batista e nas lideranças de muitas comunidades de fé, o espírito reinante tem sido, nesse encontro, de constatação de uma realidade já instaurada.
Desde 1999, os pequenos gestos e os tímidos​ avanços​ no cumprimento de uma vocação dada por Deus também às mulheres têm construído um caminho de tensão, é claro, mas também de muita riqueza e experiência com Deus.
Àquilo que as pastoras têm realizado individualmente e como coletivo fraterno supera em muito qualquer tentativa de cerceamento da liberdade das igrejas e da liberdade individual em aceitar corajosamente a vocação dada pelo Senhor.
O congresso eudissesim também é outro bom exemplo de como devemos acreditar que contra a lógica espetaculosa de nossa sociedade, o poder e a vitória estão nas coisas pequenas, nas manjedouras, nas galileias, nas mulheres batistas.
Sigamos​ em frente!

quarta-feira, 29 de março de 2017

delicadeza se aprende?


Parece mesmo que Deus se comunica conosco através das pequenas coisas, falando em meio a muitas outras vozes no nosso cotidiano. Discernir "a voz" na polifonia diária é uma tarefa de sensibilidade espiritual, mas não apenas, é também do necessário autoconhecimento.
Participando de uma mesa redonda na UERJ estes dias, uma das doutoras compartilhava sua pesquisa e projetou no slide a interrogação de uma de suas alunas: "Delicadeza se aprende?" Nenhuma resposta foi produzida, porque nem sempre temos resposta para tudo ou precisemos dela para seguir adiante.
        Muitas vezes somente a pergunta é necessária e nada mais.
 O conhecimento é produzido pelas constantes interrogações sobre as coisas, sobre a vida, sobre tudo. A ressonância desta pergunta mobilizou outras questões igualmente importantes. Em um tempo histórico em que ao invés de nos humanizarmos mais, o pior dos seres humanos vai ganhando tônus nas redes sociais, interessar-se pela delicadeza é interessar-se por aquilo que tem a capacidade de nos encaminhar para buscar o melhor de nós mesmos. Nós, humanos ocidentais, em particular, estamos em um processo de construção civilizatória que deveria nos encaminhar para este melhor, para o máximo do que é bom e não nos embaraçarmos com comportamentos e ideias que nos fossilizam, e desumanizam, em última instância.
A delicadeza deveria transparecer nas nossas relações, porque somos carentes de cuidado.    
Somos seres de carência, seres contingentes, com algum controle sobre a própria vida, mas não controle total. Somos breves demais sobre a terra para gastar este tempo nos maltratando seja lá em nome do quê, inclusive de Deus. A brevidade e a fragilidade da vida por si só deveria fazer com que recuássemos diante de qualquer tentativa de dar poder aquilo que não acrescentará nem um dia a mais na existência e nem a tornará mais robusta.  
Dinheiro, status, poder, autoridade, razão, inteligência  e piedade não mudam em nada o destino final nos braços da indesejada das gentes.
Mas a delicadeza, sim, por exemplo. Assim como outras coisas que suavizam a vida e a morte, como a beleza, a fé, a esperança , o amor, a amizade, a bondade, a generosidade, a fraternidade. Viver, como diria Paulo Freire, ultrapassa existir. Viver com a consciência do que realmente faz sentido em uma vida sempre breve demais, frágil demais é também um convite feito pelos homens e mulheres da Bíblia que, como o salmista, compreendem:
"Porque o homem, são seus dias como a erva; como a flor do campo, assim floresce;pois, passando por ela o vento, logo se vai, e o seu lugar não conhece mais". Sl 103,15-16 

Se possível, se tem fé, gaste seu tempo aprendendo sobre a delicadeza.  

quarta-feira, 8 de março de 2017

desditos femininos

Desdito 8: todos os dias as mulheres lutam para viver com dignidade suas vidas, ou apenas vivê-las sem incômodos. Um dia de homenagens não faz a menor diferença na jornada

terça-feira, 7 de março de 2017

desditos femininos

Desdito 7: as mídias sociais amplificaram os insultos às mulheres. Mulher aguenta todo lixo verbal do mundo, não é???

segunda-feira, 6 de março de 2017

desditos femininos


Desdito 6: não importa o que fazemos, nem o que somos, a maioria só enxerga peitos e lábios



Ponto final.(?)

domingo, 5 de março de 2017

desditos femininos

Desdito 5: A imposição cultural e religiosa do silêncio às mulheres, como uma virtude, é o acordo mais cruel de nossa existência

"Calar não é não ter o que dizer, mas não caber nas vozes o muito que há para falar". (personagem de Sóror Juana Inés de la Cruz) 

sábado, 4 de março de 2017

desditos femininos

Desdito 4: A difícil sororidade relaciona-se com a difícil consciência de humanidade

















"Todos nós, brasileiros, somos carne da carne daqueles negros e índios supliciados. Todos nós brasileiros somos, por igual, a mão possessa que os supliciou. A doçura mais terna e a crueldade mais atroz aqui se conjugaram para fazer de nós sentida e sofrida que somos e a gente insensível e brutal, que também somos. Como descendentes de escravos e de senhores de escravos seremos sempre servos da maldade destilada e instilada em nós, tanto pelo sentimento da dor intencionalmente produzida para doer mais, quanto pelo exercício da brutalidade sobre homens, sobre mulheres, sobre crianças convertidas em pasto de nossa fúria." (Darcy Ribeiro)

sexta-feira, 3 de março de 2017

desditos femininos

Desdito 3:  As mulheres não devem ser inteligentes, poderosas ou famosas



A inteligência feminina assusta e é vista como exceção. 
O poder exercido por uma mulher assusta e é tido como usurpação.
A fama de uma mulher assusta e é questionada o tempo todo se é mérito ou favorecimento masculino.

quinta-feira, 2 de março de 2017

desditos femininos

Desdito 2: Quem aprisiona o corpo, aprisiona também a alma.



Os que dizem que não há possibilidade de aprisionar a alma, nunca conheceram uma mulher interditada antes mesmo que o desejo nasça.  

quarta-feira, 1 de março de 2017

desditos femininos


Desdito 1: Não somos iguais


Foto: Daniel Scott

“A igualdade é fundamental e ausente, ela é atual e intempestiva, sempre dependendo da iniciativa de indivíduos e grupos que, contra o curso natural das coisas, assumem o risco de verificá-la, de inventar as formas, individuais ou coletivas, de sua verificação.” (Jacques Rancière, "O mestre ignorante", p.16)